sábado, 12 de julho de 2014

Judas Priest - When the night comes down

Resolvi voltar com o Blog. Agora. 4 anos depois.

Muita coisa aconteceu, boa e ruim. Só pra atualizar a vida do lobo do meio de 2010 pra cá, um resumo:

  • Mudei pra Londrina 
  • Casei 
  • Terminei (finalmente a UEL) 
  • TCC nota 9,8. 
  • Mudei de emprego três vezes 
  • Tomei juízo na vida 
  • Estudei pra Caixa 
  • Passei em 4° na Caixa 
  • Estou prestes a mudar minha vida! 

O que me fez voltar pro blog? Talvez depois que eu vi onde fui parar, tão diferente daquele pirralho de 2007 eu tenha vivido tanta coisa passar pela minha vida sem poder compartilhar, registrar e relembrar que sinto um buraco vazio, uma espécie de interrogação nesse espaço de tempo que me deseperei!

ZETSUBOU SHITAAAAA!

Pra refrescar o lugar, tirar algumas traças, baratas e indigentes que se instalaram por aqui, vou abrir as janelas, bater o pó e postar algo novo... Ou nem tão novo assim pra algumas pessoas: Minha ida à Curitiba para fazer os exames pré-admissionais pra Caixa Econômica Federal.

Ontem, 11/07/2014 foi um dia especial. Conheci pessoas tão vitoriosas quanto eu, conhecidas do grupo mais deliciosamente informado do Paraná no assunto concurso Caixa 2014 sob a alcunha de um singelo Lobisomem Concurseiro). Tive de ir para Curitiba, fazer uma série de procedimentos médicos e burocráticos para iniciar minhas atividades na IF que é mais que um banco: A grande mãe Caixa!

O texto abaixo foi escrito por mim no grupo do Face mais caramelizado e crocante de todos:

Tive uma viagem ótima! SENTA QUE LÁ VEM A HISTÓRIA!

Comecei pegando bus em Londrina às 23:45, fui na parte de cima, bem na poltrona com janela frontal e lateral (gosto de ver a paisagem, mas acabei tomando dramin e dormi gostoso até Campo Largo). Marquei de encontrar os também londrinenses William Salvadego Viotto e Roger Pardal na rodoviária de Curitiba. Apesar do meu onibus ter saido 15 minutos mais cedo do que o deles, cheguei quase uma hora atrasado, mas ainda assim chegamos uns 15 minutos mais cedo. Tiramos selfie na frente do GIPES e logo tudo começou.

Logo na entrada já tivemos que assinar uma lista de presença e aguardar do lado de lá da catraca. Já foi dando aquela sensação de estar dentro da CEF, literalmente. Conhecemos a Milena Dias Souza e o Jose Renato Dário. Logo fomos convidados a subir e assinamos outra lista, ganhamos caneta da CEF (ruinzinha de doer) e fomos pra sala preencher alguns formulários. Logo o Osmaril, gerentão de RH da CEF nos falou sobre a Caixa, seus benefícios o que eles querem da gente, o que não querem... E finalmente a conferência de docs, enquanto chamavam pra tirar sangue.

Tirar sangue de boa, não tenho problemas com isso, mas na quarta ampola já falei pro médico: Deixa um pouco pra mim, né?

Conferência de documentos foi um alívio e uma decepção: Meu comprovante de janeiro serviu, mas descobri que não terei direito a hospedagem no hotel, por ser alguém de outro pólo (Londrina) e ter feito pra RMC. Se eu tivesse feito pra qualquer outro pólo, de boa... Mas RMC e Curitiba não pódi. Tive algumas idéias pra contornar esse obstáculo, afinal não tenho parentes em Curitiba ou região
Logo depois tiveram dois testes: palográfico (fui um desastre. Meus risquinhos ficara meio tortos e fiz só 553. O braço começou a doer. Se eu reprovar, será nesse. Certeza!) e o de Comrey (personalidade) que são as famosas 126 perguntas.
Bem, depois eles falaram sobre vários aspectos já perguntados aqui, como perspectivas de convocação, de quando vai ser o piac, de quando receberemos o segundo telegrama e talz. Eles "não sabem de nada", mas claro que deve ser um assunto sigiloso e esquivas são a defesa do GIPES para nada vazar antes da hora. Aceitem isso, não é má vontade.

Liberaram a gente por volta das 10:30 pros exames. Foi uma volta por Curitiba centro muito legal, deu pra explorar bem e ver duas coisas sensacionais: A famosa agência das Flores (considerada a mais bonita do Brasil) e a feirinha de inverno com seu cheiro de quentão e sabores do Sul.

Não segui ordem de exames, essa foi minha rota.
Meu primeiro exame foi o odontológico. Tranquilo. O simpático dentista tira um raio X de cada lado da sua boca, examina e anota tudo o que vê e no final te libera com um "Bem vindo à Caixa!". No meu caso só tive uma restauração quebrada e um dente torto, mas nada que atrapalhou meu sorriso de futuro caixista.
Segundo foi com a psicóloga. O que eu mais tinha medo, afinal tenho um pouco de receio de conversar assim, "De Frente com Gabi" com psicólogos. Nunca me consultei com um, mas acho que fui bem nas minhas respostas, algumas foram meio esquisitas mas procurei ser sincero e olhar nos olhos como se eu estivesse seduzindo (brincadeira). No final, ela me falou "pode ficar tranquilo.". Agora, não sei se isso é bom ou ruim: Tranquilo porque não preciso mais me preocupar em mudar de cidade ou tranquilo porque passei com ela????? Oh dúvida cruel, oh psicóloga cruel!
Terceiro foi o oftalmologista. Tranquilo tbm, a atendente te faz uns exames preliminares, dá um "soco" no seu olho e o oftalmo já te chama pra sentar naquela cadeira e usar aqueles óculos engraçados. Eu perguntei se ele podia me dizer se eu tinha miopia ou algo assim, porque nunca fui num oftalmo. Ele entendeu que eu queria receita, mas eu logo esclareci. Ele disse que eu enxergo muito bem e não preciso de óculos. Mais um carimbo!
Fui logo depois no raio X e ecografia. Aviso: DEMORA! Você é atendido junto com os clientes convencionais e vive cheia a salinha. Tirei até um cochilo.
Sossegado, fora isso. Só fiquei meio assim de sensualizar na ecografia, já que tive que tirar a camisa e mostrar meu tanquinho. Passam aquele gel no ombro e pulsos. No meu caso, tudo ok. Nunca tive nenhuma fratura, deslocamento ou tendinite.
Clínico geral: Em 4 minutos resolvido. Checa seus batimentos, respiração, pulsos, joelhos, faz percussão, guitarra e baixo. Ele só invocou com a caneta atrás da minha orelha, perguntando se eu trabalhava em algum armazém... É só costume de um antigo chefe. Mas tudo tranquilo...
Agora a parte mais bizarra: O psiquiatra não foi. A tarde inteira esperando e nada. Fomos os três londrinenses no GIPES e confirmaram que os exames serão feitos no dia da assinatura do contrato. Imagina ke loko vc chega la todo fissurado pa assina o papel e faz exame e a psiquiatra diz vc é loko nao pode vixe vixe se fudeu novinha.

Depois fomos no shopis matar a fome, matar um tempo, tomar uns chope... Lobisomem já doidão com a lua cheia. Fomos pra pegar o bus às 23:15.
E chegamos à conclusão de que a rodoviária é um zoológico. Cada figura que me aparece depois das 10... Vo te contar.

Enfim, esse foi meu dia especial na GIPES. Estou com ótimas perspectivas! A GIPES conta com pessoas extremamente bem educadas e prestativas, é o modelo de como uma repartição pública deve ser: organizada e ágil.

E eu não achei Curitiba tão fria. Achei agradabilíssima! Apesar dos pesares, não me arrependo de ter feito pra tão longe, adorei a cidade e realmente o curitibano te olha com cara de paisagem quando vc deseja uma boa tarde pro caixa.

Mal vejo a hora de rever tudo o bando no PIAC outra vez. Não deu tempo de tirar selfie no estilo festa do OSCAR, mas... Mês que vem teremos 15 dias de oportunidades.

Senhoras e senhores. Foi um prazer conhecer alguns de vocês!


Sentiram saudades do lobo?

domingo, 6 de julho de 2014

Yngwie J. Malmsteen - I´ll See the Light Tonight

Minha tão planejada viagem pra São Paulo se consumou em uma experiencia maravilhosa. Não fui a todos lugares que eu queria, mas nada que não se resolva numa próxima ocasião. 2 dias pra andar foi menos que eu imaginava pra poder ver de tudo.

Foi uma viagem cheia de historinhas pra contar, começando logo quando eu chego em Mauá/Santo André quando mesmo com o mapa, consigo ter a brilhante idéia de fazer um caminho alternativo, subir por um favelão do Parque São Jorge (sim, aquele mesmo morro da escola de samba) digno de ser cenário de Tropa de Elite 2.
Explicando: Pelo meu mapinha do Google Maps, era pra eu chegar em 10 min na casa do meu tio, era só andar um pouco por uma rodovia e pronto. Mas eu ao invés de tomar a direita, tomei a esquerda... Levei 1 hora, subi   e desci 2 morros, encontrei a escola de samba... Mas cheguei. Alguém aí disse Roronoa Zoro?
Enfim, mesmo depois de 15 anos reconheci várias ruas a medida que cheguei no Parque São Vicente (terreno conhecido) e encontrei a casa do meu tio. Vai ser a história do Natal, pois quem conhece aquela região sabe do que se trata essa minha aventura =)
Eu estava quaaase lá no topo, acreditem se quiserem XD

Pois isso tudo aconteceu sábado de manhã, eu como estava cansado da viagem (e dessa pequena caminhada), dormi de tarde  acordando bem no fim dela pra bater um pouco mais de perna pelo bairro em que eu tive a parte mais gostosa da minha infância. Andei sozinho pelas vielas, refiz o caminho da escola, passei na frente da casa de amigos, de conhecidos, fui na quermesse da velha igreja... E tudo parecia tão pequeno. Tinha entre 5 e 7 anos quando andava pelo bairro, mas eu lembrava de tudo tão longe, das vielas tão ingremes e dos quarteirões vizinhos tão longínquos. Acho que foi a sensação mais diferente que eu tive XD

Visitei a casa onde eu morava, hoje onde mora uma "tia" minha. Na verdade, a mulher que alugava a casa para minha família que eu sempre chamei de tia. Meu pai acha que eu não devo chamá-la assim, mas quando eu toquei a campainha e chamei ela de tia (ela lembrou de mim na hora), o sorriso não se conteve e ela se emocionou. A casa nem existia mais, foi tudo unido em uma casa só. E bem "meu amor" por sinal =)
No outro dia, todos os tios paulistas sabiam que eu estava na capital e foi uma chuva de telefonemas pra churrasquear, jantar, almoçar, dormir e passear. Era a final da Copa e todo mundo acertou de se juntar numa chácara dessa tia minha pra churrascar. Vi minha Holanda perder, mas duas horas depois eu nem lembrava mais de nada.

Segunda-feira! O dia que eu mais esperava CHEGOU! Bem de manhãzinha peguei trem/metrô e fui pro centrão de São Paulo, em direção ao bairro da Liberdade.
Andei o dia todo por lá e fiquei maravilhado com o visual tradicional do lugar. Passei por várias lojas de produtos orientais, sebos (onde acabei esquecendo de levar 3001: Odisséia Final), ruas, templos e galerias. Parecia até outro mundo. Acabei levando algumas lembrancinhas pra galera paranaense e dois kimonos (um pra Rafaela e outro pra minha mãe, que fez aniversário). Até pro meu pai eu trouxe um pakua pra pendurar no retrovisor do carro XD
Passando pelo viaduto, depois de uma garoinha vespertina precisei registrar essa.

Segundo dia, não menos empolgante: Galeria do Rock. No dia internacional do Rock \,,/
Mesmo esquema de trem/metrô/mapa. A diferença é que tava chovendo. Do nada. Pacaraio. Resolvi me abrigar no primeiro lugar que eu vi, uma galeria. Sem querer acabei chegando onde eu queria #mistério
No começo me assustei, porque nos primeiros andares tava coalhado, infestado de... MANOS! Com suas calças folgadas e camisas que vão até o joelho, eles tomavam conta do lugar. Isso foi até eu olhar pra cima e ver uma galera de preto no terceiro andar. Corri pra lá porque o rap tava alto por aquelas bandas XD
Aí sim! Uns 7 andares só pra ver camisetas pretas! O problema é as camisetas que eu queria só tinha em G ¬¬

domingo, 4 de julho de 2010

Suzi Quatro - 48 Crash

Terminou a Copa do Mundo pro Brasil. Ou não, já que a Alemanha deu um gostinho todo especial ao estraçalhar a Argentina >=)

Minha relação com a Copa do Mundo sempre foi boa, por incrível que pareça. Assim como o @rosalvojr, eu não sou chegado em futebol, não sei direito as regras, não tenho time (apesar de por herança paterna e emergências sociais eu ser palmeirense desde moleque), não sei nem o que é tiro de meta!
Mas acho interessante o duelo entre países, disputas entre nações do mundo todo... Herança de uma pré adolescencia que se desenvolveu em meio a mangás de torneios de artes marciais.
Tenho uma certa simpatia pela Copa, mesmo enchendo o saco nesse ano com aquelas malditas vuvuzelas, transito impenetrável, horas a pagar e assunto único no twitter, eu ainda sei muito das Copas anteriores até ao meu nascimento pra um papo casual =)

Presenciei conscientemente 5 Copas na minha vida: 94, 98, 2002, 2006 e 2010, sendo que nas tres primeiras eu torci "fanaticamente" pelo Brasil, a penultima foi um borrão e na última o sangue falou mais alto e eu torci pra França e pra Holanda, mesmo não acompanhando jogo nenhum (Tenho 3 horas de almoço? Eu vou é dormir feito um anjo, afinal durmo apenas 5 horas por noite. )

Não vou aqui falar de quem é patriota só nessa época do ano, nem de que isso é política pão e circo pra não parecer um blog político de esquerda pseudo-intelectual (afinal sou liberal de centro-direita e não sou nem um pouco nacionalista, portanto...). Só pra deixar registrado que a Copa passou pela minha vida mais uma vez...

O dia que o Brasil ficou emo.
Mas por outro lado...
GO DÜTCH!

sábado, 19 de junho de 2010

Beatles - Lucy in the Sky with Diamonds


Tenho planos de viagem pro mês que vem! 

Vou pra São Paulo! A boa e velha capital econômica do Brasil.
Desde o ano passado, quando fui pro Animefriends (#FAIL) estou planejando visitar alguns lugares por lá, já que minhas férias combo (UEL + trampo) são iminentes e certas. Ora, eu mereço uns 3 ou 4 dias de turismo.

Tá, pode parecer "lugar comum" viajar pra Sampa, só que eu acho que praia nas férias é o maior clichê que existe. Um dia posto sobre isso. 
Tenho uma vontade enorme de ir pra lá, pois sempre quis conhecer o bairro da Liberdade por motivos óbvios (Ou não), visitar a Galeria do Rock pra renovar meu guarda roupa de peitas e comprar umas porcariadas no maior camelo do Brasil da 25 de Março. São esses os 3 lugares OBRIGATÓRIOS para minha viagem. Animefriends vai rolar na mesma época, mas eu decidi que não vou, a não ser que alguém vá comigo e queira ir lá, ou seja, remotas possibilidades, já que nem a Rafa e nem o Marcelo (os dois únicos que eu adoraria ter como companhia) podem ir =/

Já faz 15 anos desde que saí de Santo André - Parque São Vicente pra vir pro Paraná e me pergunto como estão as coisas naquele canto. Se me soltarem lá na rua onde eu morava, posso dizer com precisão onde era o mercadinho onde eu comprava pão, a locadora onde eu joguei game pela primeira vez (mario world), a casa dos meus amiguinhos do prézinho (como estarão hoje o Arthur, a Marina, a Cíntia, a Thaisa e o Daniel?)... Até achei cada um desses lugares pelo (bendito) Google Earth (La:  23°40'4.82"S Lo:  46°28'52.79"O)
E é por lá que eu vou ficar nesses dias, tem uma "tia" minha que mora naquela rua. Na verdade era dona da casa em que morávamos, mas até hoje chamo ela de tia... Putz... Fiquei nostálgico com minha infância pessoal 90´s.

E o melhor de tudo é que vai sair em conta, já que a estadia fica por conta de parentes e o busão de caravana da UEL tá aí. O resto é metrô, trem, comida e os artigos que eu com certeza vou comprar =)
Essas férias prometem.

Ano que vem, pretendo voltar... \,,/

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Grave Digger - Tears of Madness

Finalmente, tenho um mascote roedor!

Tudo começou quando eu e minha namorada estávamos indo embora da aula, andando pelo CCH na UEL e eu, como sempre, sondando os cartazes de shows e eventos de Londrina. Um cartaz me chamou a atenção e dizia mais ou menos o seguinte:

Adote um ratinho!
São animais saudáveis e bem tratados que serão sacrificados pela universidade dia 02/06 de manhã.
Biotério de psicologia das 8:00 as 18:00.
Nos ajude a salvá-los!

Aí, depois de ler, eu olhei pra ela e falei:

-Acho que vou adotar um. - do nada, simplesmente fiquei com vontade.
-Eu vou conversar com minha mãe, se ela deixar tudo bem - disse ela animada.

No dia seguinte, como não houve oposição das familias, fizemos o esquema de ir buscar. Terça, fui mais cedo pra UEL, com uma caixa de tênis na mochila e uma idéia na cabeça.

Cheguei no tal biotério, 50 gaiolinhas com uns 25 bichinhos albinos nelas (não, por incrivel que pareça, não fedia), cada um com um nome mais pitoresco que o outro. De óbvios como Jerry, Stuart a bizarrices como Bigolin Cueio e Alexei Rasputinavilonov (ou algo assim). Tinha uma moça lá com um deles no colo.
Ela me disse que veio dar uma última olhada neles antes de serem mortos, pois ela era da turma que usou os ratinhos pra experiencias (as quais ela me garantiu que não envolvem choques). Quando falei que ia levar dois, ela ficou tão contente que deu gosto de ver ^^

Apareceram duas meninas e um menino que vieram adotar um também e ficaram com dó quando souberam que 22 deles iam ser mortos na camara de gás. Tanto que foram até outro centro e buscaram umas 3 caixas ENORMES, onde colocaram os 22 branquinhos. Eu ajudei, claro, enquanto tirávamos dúvidas com a moça. Uma das caixas (a menor, com 5) eu gravei um video com eles dentro da caixa =)

video
Notem o que a estudante diz a respeito do tempo que eles passam sem beber água...

A rapaziada teve a idéia de guardar eles e se alguém mais quiser adotar, só entrar em contato. Eles moram no Parque Universitário. Não sobrou um único lá dentro, a não ser os que já estavam pra ser adotados e tinham marcação. Ah, eles iam ser sacrificados porque os experimentos acabaram e não tinha o que fazer com eles, se os estudantes não podiam ficar com os bichinhos. Método indolor, dizem. A estudante agradeceu imensamente, dava pra ver o quanto ela gostava dos ratinhos e não queria um fim desses.

Sim, passei a noite com eles dentro de uma caixa de sapato (oportunamente com um buraco suficientemente grande pra passar um focinho pra fora), fui no RU pra jantar com a Rukia, assisti duas aulas com eles na mochila (semiaberta), fui embora de van e NINGUÉM PERCEBEU.
Só quando eu contei que tinham dois ratos na caixa, me perguntaram:

-TEM UM RATO NESSA CAIXA? (insira aqui um emoticon a sua escolha que expresse panico)

Lembrei de Age of Mythology, quando Ajax pergunta pra Amanra, quando resgatam uma caixa com um pedaço de Osíris: This box contais a god?
Na hora eu decidi o nome do meu mascote: Osíris.

O que sei sobre cuidar de ratos?
Admito que nada, mas achei um blog interessantíssimo sobre ratos, administrado por uma loira fascinada pelos bichinhos. E com razão, pois são muito interessantes.
Deixo aqui o link, a quem possa interessar o clique, que vale a pena. (O link não tem nada a ver com o assunto do blog XD)


O Osíris é MUITO curioso, espertinho e já causa ciúmes na minha cadelinha, a Lana. Inclusive, coloco os dois perto pra um sentir o cheiro do outro e não haver acidentes. Só a Lana que precisa maneirar, pois ela tem unhas afiadas e gosta de pular em cima de tudo. Mas não pretendo deixar eles sozinhos ou juntos por muito tempo, apesar dela ainda ter um pouco de receio e ficar só no chega-cheira-recua-chega-cheira-recua.

Finalmente realizei um sonho de infancia: ter um ratinho como mascote. Já tive um coelho uma vez (hocus pocus), criado solto que deu maior rolo. Roeu umas par de coisa em casa, incluindo o fio do telefone, a parte de trás do sofá e alguns chinelos. Tive que dar ele.
Vamos ver no que vai dar esse aqui... Todo mundo em casa adorou (até minha mãe e minha irmã que tem pavor de ratos, amenizaram), e meu pai lembrou que o médico que mais ajudou ele em sua doença, se chamava OZIRES. Juro que foi sem querer XD

Sim, é uma ratazana na verdade. 40 cm incluindo a cauda.

Ele gosta de ficar no meu ombro =D

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Dio - Holy Diver

O Heavy Metal está de luto: Ronnie James Dio nos deixou aos 67 anos.
O guerreiro vinha lutando contra seu dragão, o câncer, mas infelizmente travou sua última batalha ontem, as 7:45 da manhã =/

Todos que conhecem o Metal pelo menos um pouco já ouviram falar desse italiano baixinho e de voz potente e suas contribuições pro mundo da música, sendo conhecido principalmente por popularizar o símbolo máximo dos headbngers: o sinal dos chifres, que é (em certas regiões da Itália) uma espécie de "bênção" \,,/
Quando ainda estava no mitológico Elf, ele foi chamado por Ritchie Blackmore (na época estava no Deep Purple) para incorporar sua banda a um projeto que ele estava criando e posteriormente virar uma banda com brilho próprio: Rainbow.
Só saiu do Rainbow para entrar no Black Sabbath, que começava a capengar com a saída de Ozzy Osbourne e mal se mantinha com Ian Gillan nos vocais. Depois de fazer sua parte e elevar de novo o Sabbath, resolveu fazer uma carreira solo em 1980.
Na carreira solo, consolidou seu lugar no mundo do Metal até 2004, se juntando outra vez com os antigos membros do Sabbath para formar o Heaven & Hell onde ficou até descobrir que tinha câncer de estômago no ano passado, paralisando suas atividades para se tratar.
Seu maior clássico: Holy Diver (e presença constante no repertório do Strettos)

Mais um de nossos deuses se vai...
Goodbye Dio, Eternal God \,,/

domingo, 9 de maio de 2010

Manowar - Call to Arms

O mundo é algo maior do que imaginamos, e só conseguimos perceber isso quando saimos de nosso acomodado cotidiano, arroz com feijão, casa-trampo-casa...

Quantos universos existem dentro de outro universo?

Sabe quando vc é total leigo num assunto, mas já ouviu falar algo (muitas vezes errôneo) sobre um determinado tema e por algum motivo vc se aprofunda no tema descobrindo que aquilo que vc conhecia era ínfimo? Pois é.

Comecei a tocar violão (não era sem tempo) faz um mês e me apaixonei pelo instrumento, pois sei que vai ser a alavanca pra uma vontade maior, que sempre tive desde que comecei a curtir heavy metal: tocar guitarra.
A inspiração veio quando descobri o solo Eruption do glorioso Eddie Van Halen.
Mas não é sobre minhas aulas ou sobre rock que eu vou falar diretamente. É sobre os universos que descobrimos.Já falei de dois só neste parágrafo, um que se interliga com o outro: Heavy Metal -> Instrumentos musicais.
Sempre gostei muito de conhecer coisas diferentes e vez por outra eu me meto a me aprofundar em algo diverso.

Já fui até metido a hacker e tentei invadir alguns computadores de amigos meus. Consegui o IP deles. Nada mais, porque nunca aprendi a abrir nada. XD
Descobri os blogs e fiquei com vontade de fazer um (na verdade, desde a primeira vez que entrei na internet, a 10 anos, eu queria fazer um site) e fiquei 4 dias aprendendo HTML autodidaticamente. Nessa época eu vivia editando fotos e fazia montagens realmente bizarras (o @martcheloanjos que o diga) na base de procurar tutoriais na internet e fuçando no Corel/Photoshop/Whatever. Tudo pra fazer o tal blog. Aprendi muito me aprofundando no tema e hoje vcs podem ver o resultado no lay do meu blog. E sempre tem uma coisinha a mais aparecendo todo dia.

No tempo do cursinho, eu era apaixonado por História (até hoje, na verdade) e as animadas aulas do Prof. Juarez me instigaram a pesquisar por conta. Hoje posso dizer que sou "semi-formado" em História, de tantas tardes que passei lendo sobre Império Bizantino, França e China. Dentro disso, me interessei especialmente pelo armamento e unidades militares que aquela galera usava. Sabem porque por exemplo, nas guerras napoleonicas o pessoal atirava em fileiras? Os canos das armas não eram raiados e a bala se desviava, se eles atirassem ao mesmo tempo eles tinham MAIS CHANCES de acertar os soldados inimigos XD
Ah, jogar Age of Empires ajudou a conhecer muito também. Até hoje eu aprendo jogando.

No campo da música, antes de conhecer o metal, eu sabia que a banda mais conhecida era um tal de Nirvana. Depois que me apresentaram o estilo, eu descobri que não era bem assim. Nirvana nem metal é XD
Um novo universo se descortinou e aos poucos fui descobrindo a história das bandas, dos sub-estilos, do conceito por trás de certos álbuns... Cada vez mais, até hoje, eu redescubro a vastidão que é esse mundo que existe a 45 anos. Tanto que quando descobri o solo do Van Halen, fiquei com vontade de tocar, mas procrastinei durante um tempo e um belo dia comecei a fazer aulas.
E a cada aula, eu vejo a complexidade que existe por trás das cordas. Eu, como interessado, ainda fuço na net e vejo videos de "como tocar tal musica" e vejo que é algo muito maior do que eu imaginava antes de começar a realmente pegar no instrumento.

Sobre animes, nem é preciso falar muito. É algo que começou com Pokemon em 2000, partiu pra Dragon Ball Z e foi finalmente pra Shaman King. Daí em diante, fui conhecendo muitas histórias e cada uma delas esconde plots que se expandem e dão margem pra assuntos intermináveis. Vide One Piece e seu universo em expansão, onde ninguém sabe quando ou como vai terminar (percebi isso quando Ace lutou contra o Barba Negra) XD

Bem, com esses exemplos extremamente pessoais de coisas nerds acho que deu pra captar o que eu quis dizer. Que o mundo tá aí e não se resume apenas a um ovinho de codorna que é o cotidiano.
Muitas coisas existem e todos podem partir de sua Europa boring e descobrir um continente inteiro muito mais interessante e rico, novinho em folha pra vc aproveitar. É só levantar as âncoras e sair desse Velho Mundo já puído pelas guerras internas.